Ultra Brasil - Afinal, vai ter ou não?

junho 10, 2018

Ao que tudo indica, o festival caiu no mesmo limbo que o Tomorrowland Brasil, EDC Brasil e Electric Zoo Brasil.


Segundo rumores, mesmo com nova produtora no comando, dívidas e problemas gerados pelas edições anteriores podem ter resultado na falta de interesse de patrocinadores, implicando na decisão da empresa que detém a licença do festival na América Latina.

A chegada do Time Warp, festival alemão de techno que desembarca pela primeira vez no Brasil em novembro deste ano também foi um dos fatores a motivar um cancelamento. (Time Warp sondava os bastidores e foi anunciado recentemente com 2 dias de duração em São Paulo. — mais informações)

Com a carga de problemas acumulados, o Ultra Brasil pode ter recuado de vez com a chegada deste evento, mesmo que ambos tenham dimensões e propostas totalmente diferentes.
A confusão em anunciar o Resistance para este ano seria insistência da empresa Live Talent, nova responsável pelo festival aqui no Brasil, em realizar o Ultra “custe o que custar’’ com apenas um dia de duração, mas essa ideia não foi recebida de forma positiva sendo vetada logo em seguida.

Entenda o caso:

Após duas edições conturbadas de problemas, o festival que anteriormente havia sido confirmado para 2018 em uma lista prévia de eventos na cidade do Rio de Janeiro e removido logo em seguida, passou a ser rodeado de rumores que seria transferido para São Paulo.
Essa informação se espalhou no início do ano entre alguns funcionários do festival e tomou a grande mídia logo em seguida, com a revista Veja publicando uma nota em uma de suas páginas sobre o assunto, e confirmando que a mudança realmente aconteceria.

Alguns meses depois, durante o Ultra Miami, o site Phouse.com.br teve acesso a outras informações sobre o evento no Brasil, botando mais pontos de exclamação não só de que o festival estava confirmado em São Paulo como uma nova empresa estaria na organização com uma data e local já definidos; Sexta-feira, 29 de setembro, no Autódromo de Interlagos.
Ok, agora é só aguardar né? O tempo passa e nada do anúncio oficial.
Depois de algumas semanas, no final de maio, a página do Ultra Brasil compartilhou a imagem da turnê do Resistance, label vinculada ao festival, e São Paulo estava como destino na mesma data citada a cima. Ao invés de uma confirmação, isso de certa forma deixou ainda mais duvidas no ar. ''Vai ter Resistance no Ultra Brasil ou só Resistance?''


Logo após esta publicação, não demorou muito para a hipótese de qualquer uma das opções a cima fossem anuladas. Em diversas transmissões ao vivo do Ultra ao redor do mundo, apontavam o Resistance no Brasil apenas para o ano que vem, 29 de setembro de 2019.

Confira um screenshot da transmissão feita do Ultra Europe no último sábado (07).




O que aconteceu?

Um pequeno "throwback’’ pra entender toda a situação:

2016

Em 2016 o festival teve mudança de local três vezes. Anunciado originalmente no Aterro do Flamengo e saindo de lá por conta de riscos à estrutura do local, logo em seguida voltou a ter o mesmo problema ao se mudar para a Quinta da Boa Vista.

Na vespera do festival, com montagem dos palcos já sendo feita, o evento foi embargado pela Justiça Federal, Iphan e Ibama que alegaram riscos à estrutura do Museu Nacional, do Zoológico e de parques daquela região.

Na correria junto à prefeitura do Rio, o Sambódromo foi a última saída. E apesar da mudança acontecer mais do que em cima da hora, o evento foi realizado com sucesso e no ano seguinte anunciado para ser ainda maior.
Seriam três dias e um lineup extenso no ano seguinte.

2017

Mesmo com local já estabelecido, em 2017, apenas o primeiro dia de festival se viu livre de problemas. O segundo dia teve um atraso gigantesco na abertura dos portões, com a polícia alegando grande tráfego de veículos naquele horário para liberar o fechamento da avenida que dá acesso a parte principal do Sambódromo e ao mainstage do Ultra, resultando em mudanças e atrasos na programação, sendo o último show interrompido também pela polícia.

No último dia, o público se viu em mais uma situação, mas dessa vez um tanto quanto inusitada. A “Lista VIP do Arar’’… um dos vereadores do Rio de Janeiro, Marcelo Arar, divulgou em seu programa na rádio e no facebook uma LISTA GRATUITA para acesso ao evento, onde o único passo necessário era cadastrar seu nome no site e apresentar documento original com foto na entrada para ganhar o acesso. O que revoltou (com razão) muita gente que gastou uma boa grana em seus ingressos.

Após o termino do evento, todas as redes sociais do festival estavam manifestadas de reclamações sobre esses fatores, além da segurança que ficou devendo, sendo essa uma das edições com mais relatos de objetos furtados.

É isso, acabou… Boa sorte.

Mas o brasileiro não desiste nunca!

Apesar da grande maioria (se não toda) do público ter ficado mais pistola que o mascote da nossa seleção nessa Copa com os problemas na organização do festival, a vida seguiu e em 2018 já estávamos na internet aclamando pela sua volta. Afinal, o evento teve sim graves problemas, mas não tirou seu mérito de ter proporcionado shows e momentos épicos.

Ultra Brasil nos últimos 2 anos trouxe atrações que quase nunca vieram para o nosso país, como Carnage, DJ Snake, Martin Garrix, Knife Party, Marshmello, Krewella, Feed Me…além dos já consagrados Alesso, Above & Beyond, Armin Van Buuren, Hardwell, Steve Angello, dentre muitos outros.

E agora?

Entramos em contato com a assessoria de imprensa do festival, que diz ainda não ter informações disponíveis sobre a edição do festival no Brasil.

Por tanto, é possível considerar que o Ultra Brasil 2018 está cancelado, ou na melhores das hipóteses, adiado para 2019. Por hora não nos resta outra opção a não ser esperar e torcer para que o festival realmente retorne.










Playlist MIXSOUL — Ultra Brasil no Spotify


Postagem mais recente Postagem mais antiga

0 Comments